O ÓRGÃO FOI PRIMEIRO INSTRUMENTO DA CCB

 

“Em 1932 foram trazidos dos Estados Unidos, 2 órgãos enviados pela irmandade de Chicago e nesta ocasião o Ir. Louis Francescon incentivou que fosse instituída a parte musical na CCB. Inicialmente, isso ocorreu nas Congregações do Brás, Bom Retiro e Lapa na capital de São Paulo.

HarmônioEm algumas localidades também eram utilizados o Harmônio que era um instrumento semelhante ao órgão, geralmente possuindo apenas um teclado e que precisava ser pedalado pelo instrumentista para fornecer o ar necessário para vibração das palhetas. Na congregação do Brás, também existiu um piano que era executado sempre em conjunto com os músicos. O ministério no final dos anos 50 achou por bem remover o piano e deixar apenas o órgão, como instrumento harmônico e sendo executado somente pelas irmãs. Órgão de Tubos

Existiu na Congregação do Ipiranga (São Paulo, SP), na Rua Bom Pastor, um órgão de tubos embutido na parede de fabricação de um organeiro do Rio Grande do Sul. Também existiu outro órgão de tubos na Congregação do Bairro da Vila Prudente (São Paulo, SP). Esse último curiosamente foi tocado por um membro de ascendência japonesa chamado Masayuki Nakagawa, durante os anos de 1954 a 1956, porque era o único irmão que tinha condições de executá-lo na época.

Masayuki Nakagawa estudou música na Congregação da Vila Prudente entre os anos de 1941 a 1945, sob a orientação do Irmão Encarregado de Orquestra João Geraldo. Em 1945 foi aprovado em teste para tocar flauta na CCB pelo Ir. João Finotti. Em 1954 foi convidado pelo Irmão João Clará para tocar provisoriamente o órgão até que a esposa de João Clará e a irmã Ester Romeiro concluíssem seus estudos, e fossem aprovadas pela comissão de Examinadoras. Masayuki Nakagawa foi aprovado para tocar o órgão pelas Examinadoras coordenadas pela Irmã Ana Spina Finotti. A esposa do irmão João Clara era a irmã Joconda, como só tinha ela que tocava e tinha idade já avançada, o irmão Masayuki convidou em 1956 a irmã Maria Luiza Batzli, conhecida por Francesa, pois ela praticava órgão antes de vir da Suíça para o Brasil, sendo aprovada pela irmã Ana Spina Finotti naquela época.

O órgão de tubos do Ipiranga foi utilizado até o final da década de 60, início da década de 70, sendo depois vendido para outra denominação religiosa, e os órgãos de tubos foram substituídos por órgãos eletrônicos, os quais eram mais práticos, menores, mais baratos e de mais fácil manutenção. Uma das organistas da década de 60 foi a Irmã Divanir Depret que aos 11 anos de idade (em 1958) começou a tocar no órgão de tubos. Segundo ela a igreja possuía uma galeria onde ficava o órgão e os músicos. Depois a igreja foi fechada para uma reforma e o órgão foi reposicionado na parte debaixo do templo. Foi nessa época que iniciou a prática na congregação do prelúdio musical, que na linguagem da congregação se chama “meia hora”.”

About The Author

William Cezario

Originário de Brasília DF, iniciei meus estudos musicais na CCB do Gama-DF aos 9 anos de idade, Hoje sou encarregado musical, e profissionalmente sou músico na Banda de Música do CBMDF. Este site tem por objetivo a troca de experiência musical entre os músicos da CCB e a qualquer outro admirador da arte musical.

Comentários

Leave A Response

* Denotes Required Field