9º Módulo – 1ª Parte – Escalas Maiores

ESCALAS DIATÔNICAS MAIORES

É uma sucessão de oito sons, com intervalos de cinco tons e dois semitons, assim dispostos:

Escala Diatônicas Maiores

A escala acima se trata da escala diatônica de Dó Maior. Porém podemos começar com qualquer nota, mantendo a mesma estrutura, que continuaremos em uma Escala Diatônica Maior.

ESCALAS MAIORES COM SUSTENIDOS

Ao iniciarmos uma nova escala a partir do V grau da escala de Dó Maior (nota sol), basta elevar o VII grau em um semitom desta nova escala que encontraremos a escala de Sol Maior. Veja abaixo:

Surgimento da escala de Sol M

Daí surge o 1º sustenido da Armadura de Clave, e se você continuar com o mesmo processo sempre pegando o V grauda nova escala, neste caso escala de Sol M, montar uma nova escala e colocar um # no VII grau, estará formada a escala de Ré Maior. Este processo se repete até você encontrar todas as escalas com sustenido.

ESCALAS MAIORES COM BEMÓIS

Para formação das escalas com BEMÓIS, monta-se uma nova escala a partir do V grau descendente da escala de Dó Maior, colocar um bemol no IV Grau,  estará formada a escala de Fá Maior.

Surgimento da escala de Fá M

E a partir desta nova escala, sempre pegando o V grau descendente e transformando-o em I grau da nova escala encontramos todos o bemóis da Armadura de Clave.

Escalas Diatônicas Menores

Como vimos anteriormente a escala Maior possui a seguinte estrutura:

Escala Diatônicas Maiores

Já a estrutura das escalas menores é a seguinte:

Escala Diatônicas menores

Observe que a estrutura da escala menor surgiu a partir do sexto grau da escala maior.

Então para encontrar a escala relativa menor de uma escala maior, basta abaixar a escala em uma terça menor, mantendo a mesma quantidade de acidentes.

Toda escala diatônica Maior tem a sua Relativa menor. Escala relativa é aquela que estando em outro modo contém a mesma quantidade de acidentes na Armadura de Clave. Neste caso a escala relativa de Dó Maior é a escala de Lá menor, ambas não possuem nenhum acidente em sua armadura de clave.

ESCALA DE LÁ MENOR PRIMITIVA

A estrutura encontrada acima é a estrutura da escala menor em sua forma PRIMITIVA.

Escala Diatônicas menores

ESCALA DE LÁ MENOR HARMÔNICA

Se elevarmos o VII Grau meio tom acima obteremos a escala de LÁ MENOR HARMÔNICA:

Repare que o intervalo entre o VI e o VII grau passou a ser de Um tom e meio, e o intervalo entre o VII e o VIII grau passou a ser de meio tom.

Escala Diatônicas menore harmônica

ESCALA MENOR MELÓDICA

Agora, se pegarmos a escala menor harmônica e elevar o VI grau em meio tom, obteremos a escala MENOR MELÓDICA:

Escala Diatônicas menore melódica

Note porém, que em sua forma descendente as alterações deverão ser anuladas.

Resumindo:

  1. Independente da escala do modo maior em que você estiver, abaixe-a uma terça menor que encontrará a sua RELATIVA MENOR NO FORMA PRIMITIVA.
  2. Pegue esta escala menor primitiva e eleve o VII grau em meio tom que encontrará a escala MENOR HARMÔNICA.
  3. Na escala menor harmônica eleve o VI grau em meio tom na forma ascendente e anule os acidentes do VI e do VII grau na forma descente que encontrará a escala MENOR MELÓDICA.

ACIDENTES

Como você viu aqui no 6º Módulo, existem os acidentes que alteram a altura das notas:

  • Bemóis (Abaixa as notas em meio Tom)
  • Sustenidos; (Eleva as notas em meio Tom)
  • Dobrado Bemol; (Abaixa as notas em um Tom)
  • Dobrado Sustenido; (Eleva as notas em um Tom)
  • Bequadro; (Anula o efeito dos acidente acima listados.

Acidentes ou alterações

Estes acidentes podem ocorrer de três formas no trecho musical:

  • Acidentes fixos;
  • Acidentes Ocorrentes; e
  • Acidentes de Precaução.

Acidentes fixos

Armadura de Clave

Os Acidentes Fixos são escritos junto às claves, formando a Armadura de Clave. Pode ser escritos até sete sustenido ou sete Bemóis na Armadura de Clave, ou seja, um para cada nota musical. Indicam que em todo o decorrer da música as notas sofrerão alteração (em qualquer oitava), exceto se aparecer uma nova Armadura de Clave.

Tonalidade

Ordem dos acidentes

Para os sustenidos, o 1º acidente que aparece na armadura é na nota Fá e para os Bemóis o 1º acidente que aparece é na nota Si. E daí por diante basta contar de quinta a quintas que você encontrará o restante dos acidentes, ou seja:

Para os SUSTENIDOS:

FÁ – DÓ – SOL – RÉ – LÁ – MI – SI.

Para os BEMÓIS, a ordem inversa:

SÍ – MI – LÁ – RÉ – SOL – DÓ – FÁ.

ESCALAS MAIORES

Porém como é que estes acidente surgem e por que estão dispostos nesta ordem?

Isto ocorre dependendo da TONALIDADE em que a música é escrita. Vamos analisar as ESCALAS DIATÔNICAS MAIORES para entender como surgem as diversas Armaduras de Clave. (Assista no vídeo Aqui) 

About The Author

William Cezario

Originário de Brasília DF, iniciei meus estudos musicais na CCB do Gama-DF aos 9 anos de idade, Hoje sou encarregado musical, e profissionalmente sou músico na Banda de Música do CBMDF. Este site tem por objetivo a troca de experiência musical entre os músicos da CCB e a qualquer outro admirador da arte musical.

Comentários

5 Comments

  • Itamarati Gomes

    Reply Reply 9 de outubro de 2016

    Ecelente trabalho poderia manda umas sugestão de hinos em áudio

  • Iremar. Gomes

    Reply Reply 9 de outubro de 2016

    Excelente trabalho

  • Iremar. Gomes

    Reply Reply 9 de outubro de 2016

    Excelente trabalho poderia manda uns audio hinos

  • Bruna

    Reply Reply 27 de outubro de 2016

    ApdDeus Irmao
    Quero agradecer pelas aulas,te acompanho todos os dias. Estou tendo um pouco de dificuldade no modulo 9..
    O irmao poderia me mandar um, questionário pra oficializacao?

Leave A Response

* Denotes Required Field